Já tinha expressado meu amor a primeira a vista por Buenos Aires no TE CONTO NA VOLTA número 1. Mas gostei tanto da terrinha do namorado que resolvi visitá-la de novo em menos de um ano e não podia deixar de dedicar esse novo post para ela. Só para constar, já tenho outra viagem programada para lá em 2012 (Buenos Aires e Mendoza). Estou ficando profissional na rota RioxBuexRio. Rsrs.
Como na minha primeira ida já tinha feito boa parte dos lugares “obrigatórios” e meus amigos também (levei comigo de novo meus fiéis companheiros de viagem, além do namorado, claro), optamos por conhecer lugares menos badalados e fora da região central de Buenos Aires, como o Zoo de Luján, San Isidro e Passeio do Delta do Tigre. Também circulamos pela imperdível Feira de San Telmo, pelo Shopping Unicenter e o irretocável Rojo Tango no Hotel Faena. Isso tudo conto para vocês:
Sempre digo: localização conta muito em uma viagem. Ficar afastada de tudo pode tornar um pesadelo o que era para ser um sonho. Dessa vez, demoramos demais para decidir o hotel e acamos ficando sem muitas opções. Era Carnaval e Buenos Aires parecia Salvador ou qualquer outro lugar no Brasil: brasileiros por todos os lados. Com isso ficamos em um apart hotel no bairro de San Telmo, o Piedras Suites. Bem, não indico. Explicando: o apart era bacana, bonitinho, com quartos amplos e limpos, funcionários prestativos e simpáticos, café modesto, maaas fica localizado um pouco longe da maioria dos lugares mais visitados. Para quem vai a Buenos Aires a primeira vez, ficar hospedado longe do Centro, Palermo ou Recoleta não é uma boa. Irá perder tempo com locomoção.
                                                                                           Reprodução
Como já estávamos descolados e o namorado é argentino, tiramos de letra e não houve problemas. Legal caminhar pela área para curtir o bairro. San Telmo é bem sossegado e ainda é comparado a Lapa no Rio de Janeiro por ser um bairro boêmio. Há antiquários, brechós e cafeterias espalhados pelo bairro inteiro. Tudo no maior estilo retrô. Poucas quadras do hotel fica a famosa Feira de San Telmo que conto mais abaixo.
O disputado croissant com doce de leite do café da manhã.
Veja também: Hotel Esplendor Soho
Rojo Tango, sem dúvida, é o show de tango mais impressionante de Buenos Aires e também o mais caro (algo em torno de 250 dólares). O espetáculo ocorre dentro do majistoso Hotel Faena em Puerto Madero.
Chegamos bem cedo, pois sabíamos que fazia parte do espetáculo conhecer algumas dependências do hotel, todo decorado pelo excêntrico designer Felipe Starck. O hotel conta com dois restaurantes, o El Mercado e o El Bistrô, sofisticadíssimos. O ambiente da piscina é super elegante, sem contar o charme do Library Lounge com seu belíssimo piano de caudas. O hall, os banheiros, tudo é repleto de requinte.
Essa foto do hall é clássica para quem visita o hotel.
Library Lounge
Decoração riquíssima do LL.
Não teve jeito: tirei foto até do banheiro.

Após uma sessão de fotos, fomos para o El Cabaret, salão onde acontece o sensual show.

O espaço conta com poucas mesas e isso demonstra que um ambiente intimista faz parte do show. Fomos recepcionados pelo maitre que nos conduziu até a mesa. Sentamos na melhor. Sim, na melhor. Bem perto do palco e na frente de umas pessoas “importantes” da Citroen França que também assistiam ao show. Prestígio do meu namorado! 🙂
El Cabaret.
Todas as mesinhas a luz de velas.
Logo em seguida o maitre nos perguntou se gostaríamos de ser atendidos em português, espanhol ou inglês. Português, né? Sem afetações. Mas isso demonstra toda preocupação em sermos super bem atentidos e compreendidos. rsrs.O jantar inclui entrada, prato principal, sobremesa e todas as bebidas. Tudo delicioso, fino e compatível com a sofisticação do lugar. Maravilhoso!
3 opções de sobremesa.
Quanto ao show, IMPECÁVEL. Excelentes bailarinos, figurinos sem excessos e um tango bem sensual.
Olha como estávamos na primeira mesa.
Sou tão boa em fotos que tirei a cadeira também. rsrs.
Bastante entrosamento dos bailarinos.
Um dos momentos mais bonitos.

Cantores de alto nível também.

Sem dúvida, o momento que me fez sair de órbita foi quando as luzes se apagaram e o destaque do espetáculo ficou por conta da orquestra. Fechei os olhos para apenas ouvir e apreciar o mais lindo dos tangos: o “Adios Nonino” do Astor Piazzola.Meu favorito!

Espaço da orquestra- poucos músicos e memorável.
Noite para entrar pra minha história!
INDICO, INDICO E INDICO!
Saida do Faena.

Veja também:Esquina Carlos Gardel

FEIRA DE SAN TELMO

 É a feira mais famosa de Buenos Aires, com apresentações de tango, músicos e vários artistas.
Acontece todos os domingos das 10h às 18h.
Às 10h já estávamos rodando pela feira que já estava bastante cheia, mas isso faz parte do show!
Muitos gringos como nós e muitos portenhos aproveitavam a animação da rua.
Escutei  muito inglês, francês, alemão, espanhol…
Legal alí é caminhar pela feira e observar as barraquinhas de artesanato e os artistas que se apresentam
em vários pontos da rua.
Essa feira de antiguidades acontece na Plaza Dorrego, praça mais antiga de Buenos Aires, depois da Plaza de Mayo.
Muitos trabalhos artesanais interessantes.

“Gardel vive”

A praça fica cercada de galerias de arte que promovem jovens artistas,
 antiquários e lojas de decoração.
As famosas e deliciosas empanadas argentinas!
Não comi essa aí, mas não ficava sem em nenhum restaurante.
Curiosidade:
é em San Telmo que fica o primeiro hotel de 5 estrelinhas para Gays!

Essa galeria chamada de Pasaje de La Defensa já foi um dia a casa de los Ezeiza,
família de classe altíssima de Buenos Aires.
A aristocracia portenha vivia em San Telmo até 1871 quando a epidemia de febre amarela fez com que as famílias fossem obrigadas a se mudar para o Norte da cidade.

Hoje essa mansão é uma galeria comercial onde funcionam antiquários e brechós.
A arquitetura é bacana e a visita nos dá uma idéia da dimensão das casas.
A casa de los Ezeiza fica na Calle Defensa, 1179, pertinho da feira.
Dica: Se estiver por San Telmo, caminhe até a esquina das ruas Chile e Defensa para ver a estátua da MAFALDA!
Lei sobre a estátua da Mafalda
PUERTO MADERO
É o bairro mais jovem de Buenos Aires. Suas 16 docas e 4 diques ficaram abandonados por 60 anos! O porto foi construído por 20 anos e quando foi inaugurado era obsoleto e por isso só funcionou por 30 anos. Em 1989, seus 170 hectares abandonados foram recuperados e criado um novo centro comercial, social e cultural.


Lugar extremamente agradável que abriga a Universidade Católica Argentina (UCA – nossa PUC); restaurantes; edifícios modernos; a Ponte da Mulher que se move para a passagem de embarcações; “Casino Buenos Aires”…

Muitos portenhos criticam esse bairro  porque acham que ele não tem “alma” e também por não possuir
escolas, cafés, supermercados.
Mas fato é que Puerto Madero continua crescendo e se valorizando. Imóveis na região custam uma verdadeira fortuna.

Essa é a Fragata Sarmiento, uma tradicional embarcação com 35 velas e 12 canhões que fica ancorada no porto. É também conhecida como Museu Flutuante.
A visita custa cerca de 2 pesos.
Esse barco conserva a mobília original, um valioso registro fotográfico e um
amplo acervo sobre suas 35 voltas ao mundo.

Puente de la Mujer
 fica no dique 3 e é hoje um símbolo de Buenos Aires.

A ponte foi inaugurada em 2001 para uso somente de pedestres.
Essa obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava gira 90 ° em apenas 2 minutos para passagem de embarcações.
É em Puerto Madero que fica o restaurante/boate famoso- Asia de Cuba
A vista de todo o porto é muito linda.
Essa parque fica atrás do porto, em uma área bem mais arborizada, e é super agradável.
Faz parte do bairro, mas não tem nada a ver com Puerto Madero.
Quando fui vi crianças brincando, piqueniques de amigos e  família, galera correndo, andando de skate, bike e até mesmo dançando. rsrs.
Puerto Madero possui edifício altíssimos.
Tão alto que nos perdíamos tentando contar os andares. rsrs

Dica:  Trem Tranvía del Este – este trem, que foi recentemente inaugurado, circula o bairro entre as avenidas Independencia e Córdoba, paralelamente à Avenida Alicia Moreau de Justo, a principal de Puerto Madero, e custa apenas 1 Peso. Fica na altura da Doca 2.

Puerto Madero é imperdível!

SAN ISIDRO
e PASSEIO DO DELTA DO TIGRE
Passeio que não dá para perder é esse, o circuito San Isidro que também compreende um passeio divertido no Delta do Tigre.
Nossa guia nos pegou no hotel bem cedinho e partimos em direção ao norte de Buenos de Aires, onde ficam as cidade de San Isidro e Tigre.
No caminho passamos pelo estádio do River Plate que fica no bairro de Belgrano.
San Isidro é um município próximo a Buenos Aires que antigamente era lugar de descanso da aristocracia portenha.
A cidade é bem arborizada, possui uma temperatura muito agradável e é bem sossegada.
É a capital nacional do rugby.

Essa é Catedral de San Isidro.
Foi inaugurada em 1897, no dia 15 de maio, Dia de San Isidro Labrador.

Possui estilo gótico, cujas principais características são todas as curvas das portas e janelas apontadas para o céu, assim como as diversas torres; as “rosáceas” acima da porta principal indicam Nossa Senhora;

Achei a cidade muito tranquila.
Plaza Mitre-praça principal da cidade.
Nessa pracinha em frente à  Catedral  sempre acontece uma feirinha de rua.
Comprei um souvenir bem interessante: um porta incenso de bronze no formato de uma lareira.
Bem bacaninha!
Depois de conhecer San Isidro, fomos para o passeio de balsa pelo Delta do Tigre.
A cidade de Tigre fica a 30 km da capital e vale a visita.

O Delta do Paraná ou Delta do Tigre é um conjunto enorme de ilhas, matizes, rios, fauna e flora local e diferente dos outros grandes deltas do mundo: não desemboca no mar, mas, sim, no Rio de La Plata.

Os barcos zarpam da estação fluvial de Tigre.
O nosso era bem seguro, grande e aconchegante.
Além da nossa guia, havia outra do próprio barco explicando a história da região.

Muitas casas foram construídas as margens do rio e funcionam como casas de veraneio dos portenhos.
O preço das casas é bastante alto.
A maioria das casas possuem decks onde os donos usufruem da beleza do local.
É no deck também, em uma parte mais acessível, que os donos da casa deixam o lixo para coleta que chega pela água.

“Museu de Arte Tigre ” (MAT)

Muitas casas construidas a beira do rio possuem um estilo colonial.

“Club de Regatas La Marina”

Essa é a praia do portenho no verão.
Não dá para acreditar que as pessoas  tomam banho nessa água. rsrs.

Uma das curiosidades do local é o supermercado flutuante – uma balsa com mercadorias para servir aos moradores das ilhas devido à dificuldade de locomoção.
“Samba”
“Casa Presidente Sarmiento” envolta em vidro para conservação.
Esse passeio durou uma manhã. Achei interessante!
ZOO DE LUJÁN
A cidade de Luján fica a cerca de 73 km de Buenos Aires e possui um zoológico famoso por permitir que os visitantes cheguem perto e até acariciem animais selvagens.
Nesse dia preferimos alugar um carro, pois seria a maneira mais fácil, barata e confortável de se chegar até ao zoo.
Não tivemos dificuldade em chegar com carro e gps na mão.
O zoo fica no acesso oeste km 58, saindo de Buenos Aires.
 Da estrada você já consegue ver e ainda há muita sinalização.
Não tem como errar.
Funciona todos os dias das 9h às 19h.
Pagamos 50 pesos pela entrada. Na verdade o zoo, como a maioria dos lugares,
aceitou real. 50 reais, 2 pessoas.
Os leõezinhos são uma graça e aceitam numa boa a mamadeira dos visitantes.
Quando fomos, tinha uma pequena fila para amamentar as ferinhas.
Para passar a mãe nesse tigre aí tinha que ser mais corajoso.

Mas o problema desse zoo, talvez seja esse bichinho acima aí.
Na verdade, a quantidade dele.
Meu Deus! Havia patos por todos os lados, de todas as cores, jeitos, tamanhos.
Acabavam sujando o zoológico inteiro. Era pena e muita sujeira.

Sendo muito sincera, achei os animais também bastante maltratados.
Sei que sou meio chata porque defendo que lugar dos bichinhos é na selva, na floresta e, não, trancados numa jaula, principalmente se ela for pequena e imunda, mas todos os meus amigos concordaram
que o lugar não é dos melhores a ser visitado.

Saí de lá decepcionada com o que ví, até porque tinha lido muitos blogs indicando o zoo e falando maravilhas.
Os animais estavam muito tristes e abandonados.
Também tivemos a impressão que os tigres e leões estavam dopados para permitir que as pessoas os tocassem.
Eles não levantam e sequer se mexiam no chão. Achei estranho.

O espaço até que é legal. Uma enorme área verde e que merecia mais cuidado.
Enfim, nessas condições não indico o Zoo de Luján, não. 🙁
VOS TENES QUE CONOCER
Patio Bullrich.
É um shopping bem, bem sofisticado com lojas de alto nível de estilistas famosos.
Legal conhecer e tomar um café ou um sorvete.
Av. Del Libertador, 750. Retiro.
Já está reaberto após longo período de reforma.
Infelizmente não conseguimos fazer a visita guiada, pois estava bastante cheio e era nosso último dia.
Tentarei assistir a um espetáculo na próxima viagem!
Cerrito, 618, San Nicolás.

 EL ATENEO!

Segunda livraria mais bonita do mundo, segundo o jornal inglês de Guardian.
Deve ser incrível, não acha?
Como não tivemos tempo para uma ida até lá, tive que me contentar
com a da Florida. Legal pra quem está pelo Centro e gosta de colecionar filmes argentinos, como meu namorado.

El Ateneo Grand Splendid  e seu charmaso café incluidíssimos no meu próximo roteiro de viagem

Fica na Avenida Santa Fé 1860 , Recoleta.
Esse shopping é muito legal e considerado por muitos o melhor de Buenos Aires por causa dos bons preços, variedade e marcas famosas. Ele é enorme e abriga uma quantidade grande de grifes bem conhecidas como Adidas, Armani Exchange, Christian Lacroix, Lacoste, Levi´s, Zara, Falabella (mega loja de departamento) e muitas outras lojas argentinas.
Fica um pouco afastado da região central (cerca de 30 minutos do centro), mas vale a visita. Você encontra de tudo por lá.
Avenida Paraná, 3745, Martinez