Já tinha feito uma postagem que você lê aqui sobre algumas delícias gastronômicas de Buenos Aires.
Nessa minha última viagem em 2012 priorizei bastante bons e recomendados restaurantes.
Fomos a 5 e coloquei alguns tópicos como critério de avaliação para se chegar a minha ordem dos melhores :
  • Couvert
  • Prato Principal
  • Atendimento
  • Preço
5° Lugar
Já havia 2 viagens que queria conhecer essa famosíssimo e recomendado restaurante de Puerto Madero.

Nessa viagem ele não me escapou e fui conhecê-lo.

Pode parecer estranho, mas é nessa colocação mesmo que o coloco: em 5° lugar.
Não quero dizer que seja um restaurante ruim ou que algo tenha me desagradado, mas de fato, para mim, não é dos melhores. Acho até que não voltaria.
Para começar gosto de Puerto Madero, mas o fato de ser ponto de encontro de brasileiros não me apetece taaanto. Mas é legal.
Mas vamos ao que importa.
Quando chegamos o restaurante estava cheio. Colocamos o nome na entrada e esperamos nosso bip ser chamado (igual aquele do Outback). Esperamos do lado de fora por cerca de 30 minutos curtindo a vista do porto.
Para começar o couvert era uma verdadeira vergonha.
Os pãezinhos não estavam quentes e não tinham nada de mais.
O restante eram algumas besteirinhas para enganar o estômago.
Já o prato principal, de fato, não tenho pontos negativos pra falar. Realmente a carne estava deliciosa, macia, com sabor.

Eu peguei o medallón de lomo e estava bem mais gostosa do que a carne do Juan (bife de chorizo ou baby beef).

Mas sinceramente não vale o que eles cobram.
Pagamos 600 pesos, sem vinho e sem sobremesa.
Não comemos a carne de Kobe, considerada uma das melhores iguarias do mundo (o gado recebe até massagem ouvindo música clássica). Só ela e sem acompanhamento custava 400 pesos.
Achei caríssimo tudo.
Ah, coloco também que o atendimento pecou várias vezes.
Até hoje não entendi porque se fala tanto desse restaurante.

Mas se você faz questão de conhecer, vá e me conte na volta…

4° Lugar
Cabernet
Localizado na Jorge Luis Borges 1757, perto da Plaza Serrano, esse restaurante foi uma ótima indicação do pessoal do Nuss Hotel.
Gostamos muito do ambiente externo e interno.
O casarão por fora é bonito e bem iluminado.
Chama bastante atenção para quem circula em sua rua.
Há algumas mesinhas do lado de fora.
Sentamos dentro da casa mesmo: mesa confortável e ambiente legal.

Quanto à comida, te conto que a carne estava muito boa apesar de não estar preparada no ponto que queríamos.

Pagamos 320 pesos pelos 2 pratos e pelas bebidas (cerveja e suco) e acho que valeu.
Gostamos, gostamos.

3° Lugar
Lo de Jesus
Esse agradabilíssimo restaurante de Palermo é um boa pedida para um jantar.
Fomos muito bem atendidos e o ambiente é bastante aconchegante.

Gostamos bastante dos nossos pratos, mas acho que a carne poderia estar um pouco mais saborosa.
Mas ainda assim, super recomendo. De repente era o meu paladar. 🙂

Pagamos mais ou menos 300 pesos pelos 2 pratos e bebidas (cerveja e suco).
Nesse restaurante eu voltaria com certeza.
Uma curiosidade do Lo de Jesus é essa fatiadora de frios, que mesmo com anos de existência ainda funciona.

2º Lugar
Café des Arts
Localizado dentro do Malba (leia aqui), Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires, essa maravilha de bistrô não podia mesmo ter faltado em meu roteiro.
Para começar, o restaurante tem 2 chefs e franceses. Um deles comanda o La Bourgogne, situado dentro do Alvear Palace Hotel. Deu para sentir ne?

Logo na entrada do Malba, à esquerda, você vê o Café des Arts.
Há 2 ambientes, um interno e outro externo de frente para uma praça.
Como estava um dia agradável pegamos uma mesinha na varanda, debaixo das árvores.
Nossa, que delícia de lugar para almoçar.
Pegamos o ojo de bife com salsa de malbec com papas rústicas e estava excelente.
O outro prato era uma carne que tinha como acompanhamento um arroz mais elaborado.
Também estava muito bom.
Pagamos 400 pesos pelos 2 pratos e bebidas (cerveja e suco).
Não só voltaria ao Malba como também ao Café des Arts para mais um dia como aquele.
1° Lugar.
Primeiríssimo lugar e sempre, até que me mostrem o contrário, o melhor.
Não consigo achar nada que se aproxime desse excelente restaurante.
Seus minipotinhos que acompanham a carne são deliciosos. A carne é a melhor de todas.
Sem contar a decoração do local feita pelo próprio dono.
É tudo muito descontraído, mas ao mesmo tempo intimista.
A iluminação é boa, os garçons sabem o que os clientes querem e o preço é justíssimo.
Pagamos 330 pesos por 2 pratos e bebidas (cerveja e suco).
Vale toda a fila de espera (acompanhada de taças de espumante e chorizos).
Excelente cortesia.
Hoje há 2 restaurantes La Cabrera, todos na Calle Cabrera, claro, em Palermo.
Os 2 na mesma rua e muito próximos.
Ainda não conheci o mais novo que é menor.
Até cheguei a passar na porta, mas o mais antigo me agrada mais.
Os pirulitos que chegam junto com a conta dão um toque descontraído ao lugar.
Não deixe mesmo de ir a esse restaurante.
É IMPERDÍVEL!
Não poderia deixar de mencionar 2 diferentes restaurantes que conheci e que também merecem constar nesse post. Não os coloquei no ranking, pois possuem propostas diferentes, portanto, díficil de se fazer uma avaliação competitiva.
El Sanjuanino
Quem vai a Buenos Aires não pode deixar de comer as famosas empanadas argentinas.
E por que não comer num dos melhores lugares que as oferecem?
Esse restaurante é uma graça e de fato são as melhores empanadas que comi na Argentina.
Super saborososas e beeeem recheadas. Massa super leve.
Custam 9 pesos cada.
O restaurante em si é todo informal e muito agradável, porém não muito grande apesar de ter 2 andares.
Ficamos no primeiro andar. Bem mais legal.
Vale muito, muito conhecer esse clássico da cozinha portenha.
Tenha sorte e seja atendido por um divertido garçom hermano apaixonado pelo Brasil.
Sabe tudo de futebol e adora fazer brincadeirinhas com nossos times.
La Flor Azteca
Outro restaurante bem bacaninha foi o mexicano La Flor Azteca, localizado na Thames 1472, em Palermo.
Não esperámos muito, pois nunca tínhamos ouvido falar e suas instalações não chamam atenção.
Entramos e adoramos.
Comida super boa, bem decoradinho, luz baixa e completamente cheio.
O atendimento demorou um tanto, mas mesmo assim fomos recompensados.
Pelo o que entendemos o dono é um ex ator e diretor.
Se estiver a fim de fugir da carne, vá ao La Flor Azteca e me conte na volta.
Espero que tenham gostado do post! 🙂